29 de novembro de 2009

Lutheria


As pessoas ouvem música, e se encantam com os sons produzidos pelos instrumentos, contudo poucos sabem que para vir a luz o primor de cada nota houve um trabalho árduo de um artesão que confeccionou o instrumento, tal arte é denominada de lutheria.
A luteria (ou Lutheria, Luthieria) é a arte de fabricar instrumentos musicais, sendo denominado luthier o profissional/artesão que trabalha com a construção e manutenção de instrumentos musicais.
Originalmente, a luteria é a arte que trabalha apenas com instrumentos de corda, como o violão, o violino ou o baixo, mas generalizou-se o uso do termo para denominar todos os profissionais que trabalham com todos os instrumentos, seja de corda, sopro ou percussão. Esse profissional é responsável por construir, manter e afinar instrumentos, portanto deve entender bem das especificidades de cada um deles.


Em termos de importância histórica, instrumentos como o alaúde e o violino são associados ao desenvolvimento da luthieria. Os italianos denominam o alaúde, que é um instrumento de cordas da Era Medieval, de "liuto". Seria o “liuto” que se transformou em “liuteria”. Já os franceses denominam o alaúde de “lut”, que posteriormente virou “luthier” e “luthieri”. No Brasil, são utilizados os termos: luthier, luteria ou luthieria.



Luteria tem sua origem francesa referente à "fabricante de alaúde", a qual se espalhou pelo mundo. Esse termo dá-se ao significado da construção e da manutenção de instrumentos musicais.
Diferente do artesanato de peças mais simples, que sofre com a industrialização, a luteria é praticamente intocável pelos sistemas de produção, uma vez que, a partir dessa produção ela obtém seus insumos (madeira, tarraxas, trastes, cordas, etc.) para o desenvolvimento artesanal, não sendo superada pela indústria, por estar intimamente relacionada com a produção individual, única.
A melhor referência que se pode dar de luteria é Antonius Stradivarius, ou Stradivarius, como era conhecido.Outros exemplos de luthiers famosos são Nicolo Amati e Giuseppe Guarnieri (ambos italianos).

Cursos e informações sobre Luteria:

O infinito e além


O homem sempre soube lá no fundo que ele era um ponto no meio do universo, sem saber para onde ir e carregando dentro de si um oceano de incertezas ele executava inúmeras táticas para que pudesse ter um vislumbre ínfimo dos planos dos Deuses.
Utilizava de muito métodos para entrar em contato com o Cosmo, Deuses, Espíritos e outras tantas entidades para saber de seu futuro.
Até nos dias de hoje olhamos para o futuro desconfiados, e mesmo que de forma inocente ainda apelamos para a vidência de adivinhos que nos dizem a sorte no Horóscopo do jornal.
Mais do que simples sorte, os adivinhos foram e são muito requisitados para uma infinidade de coisas, desde de saber o verdadeiro amor aos números da sena.
Os antigos se utilizavam de vários métodos como o uso de ossos e vísceras de animais, interpretação de sonhos, e muitos outros. Nos mitos podemos observar a presença constante dos adivinhos:



Durante a visita que fizera a Esparta, além dos conselhos que recebera tanto de Menelau quanto de Helena, Telêmaco recebera, também, do divino casal, valiosos presentes. Porém, antes da partida do ajuizado jovem Telêmaco (antecipada e tramada pela deusa Palas Atena) da cidade espartana, Helena teve um presságio: avistou uma águia, levando consigo um ganso capturado e indefeso. Helena decifrou o presságio a Telêmaco, isto é, confirmou o retorno de Odisseu a Ítaca, seguido da matança, pelo herói grego, de todos os pretendentes do reino de Ítaca.
(Canto XV, Odisséia - Homero)



Mais tarde, casado com Jocasta, evitava ter filhos, pois o Oráculo de Delfos revelara que seria morto por um filho seu. Mas Jocasta embebedou-o certa vez e, decorridos os meses de praxe, Édipo nasceu.
(Mito de Édipo)



Métodos de Adivinhação



Várias eram as ferramentas utilizadas e cada técnica possui um nome específico:

* Licnomancia: adivinhação baseada na interpretação das figuras que surgem da luz ou das sombras das chamas.
* Ceromancia: consiste na adivinhação pela interpretação das figuras que se formam com o pingar da cera de uma vela sobre a água contida em um recipiente (copo, vasilha).
* Halomancia: leitura e interpretação da disposição dos grãos de sal jogados fortuitamente sobre um pano liso preto.
* Antropomancia: interpretação dos órgãos e sangue de uma vítima sacrificada.
* Quiromancia: leitura e interpretação das linhas e sinais das mãos, englobando o estudo do formato das mãos, unha e falanges,
* Bibliomancia: método que consistia em adivinhar o futuro por meio de frases e versículos lidos ao acaso num livro. Esse tipo de adivinhação era famosa com a Bíblia, denominada por Sortes Sanctorum e com a Eneida, Sortes Virgilianae.
* Rapsodomancia: método muito similar a bibliomancia só que neste tipo de adivinhação o livro utilizado era de poesia.
* Cataptromancia: método de adivinhação baseado na hipnose causada pelo olhar fixo em um objeto concreto.
* Giromancia: o método consiste em uma pessoa girando em um círculo repleto de símbolos, seus tombos sobre determinados símbolos são marcados e interpretados por outro indivíduo.
* Apantomancia: método baseado no encontro fortuito com animais, ou mesmo coisas que aparecem inesperadamente.
* Astrologia: pelos corpos celestes.
* Augúrio: pelo vôo dos pássaros.
* Cartomancia: por cartas (baralhos).
* Cronomancia: se baseia no tempo, dia propício/dia não propício.
* Cybermancia: por computadores.
* Extispicy: pelas entranhas dos animais.
* Hidromancia: por água.
* Necromancia: consulta e invocação aos mortos.
* Numerologia: através da interpretação dos números.
* Oniromancia: interpretação dos sonhos.
* Onomancia: pela interpretação de nomes.
* Rabdomancia: adivinhação com bastões.
* Piromancia: adivinhação feita pela utilização do fogo.
* Nefelomancia: adivinhação realizada através do formato das nuvens.
* Libanomancia: método de divinação por meio da fumaça produzia por incensos.
* Lacomancia: método de divinação feito pela interpretação dos dados.
* Cafeomancia - Método de adivinhação através da interpretação da borra do café.
* Cristalomancia - Método de adivinhação através de um cristal, como a bola de cristal.
* Aspidomancia - Método de adivinhação através de um demônio.
* Astromancia - Método de adivinhação através dos astros.
* Aleuromancia - Método de adivinhação através dos biscoitos da sorte.
* Selenomancia - Método de advinhação através do movimentos e do estado da lua.
* Teimancia - Método de advinhação através das folhas de chá.

Existem muitas outras, pois o número de métodos muda conforme a cultura, e os recursos disponíveis, alguns métodos se destacaram mais do que outros é o caso das Runas, Tarot e Tábua Oui-ja.




Tarot

Não se tem certeza da origem do Tarot, mas podemos atentar primeiramente para o Norte da Itália, onde no séc. 14 foram encontradas as primeiras manifestações do jogo de 78 cartas.
As mudanças ao longo do tempo são mínimas, ainda são os quatro naipes dos jogos italianos (copas, espadas, paus e ouros). Além das dez cartas numéricas, as figuras são em número de quatro, para cada naipe: um rei, uma rainha (ou dama), um cavaleiro e um valete. Restam ainda 22 cartas especiais que, de certo modo, formariam um quinto naipe e que os documentos italianos denominam de trionfi (trunfos) e, os franceses, atouts, com o mesmo sentido de trunfo, ou seja, de cartas que se sobrepõem às demais.
Não se pode afirmar com certeza se os 22 trunfos ou Arcanos Maiores e as 56 cartas ou Arcanos Menores (os quatro naipes conhecidos) foram criados juntos ou separados e mais tarde combinados, formando então o baralho de 78 cartas.
A maior parte dos estudiosos consideram os 22 trunfos – os atualmente denominados "arcanos maiores" – uma criação do norte da Itália, como atestam as cartas do Tarot Visconti Sforza. Já as dúvidas aparecem quando se trata do conjunto das cartas numeradas – atualmente conhecidas por "arcanos menores" ou "baralho comum" –, que poderiam ter sido levadas pelos árabes à Europa durante a Idade Média. Existem menções às "cartas sarracenas" em registros do séc. 14.
É bastante citado, nos estudos de Tarô, o nome de Johannes, monge alemão que escreveu em Brefeld, na Suíça, que “um jogo chamado jogo de cartas (ludus cartarum) chegou até nós neste ano de 1377”, mas declara expressamente não saber “em que época, onde e por quem esse jogo havia sido inventado”. Sobre as cartas utilizadas, diz que os homens “pintam as cartas de maneiras diferentes, e jogam com elas de um modo ou de outro. Quanto à forma comum, e ao modo como chegaram até nós, quatro reis são pintados em quatro cartas, cada um deles sentado num trono real e segurando um símbolo em sua mão”.



Há outra menção, ainda no século XIV, embora não tenha restado exemplar algum das referidas cartas: nos livros de contabilidade de Charles Poupart, tesoureiro de Carlos IV, da França, existe uma passagem que declara que três baralhos em dourado e variegadamente ornamentados foram pintados por Jacquemin Gringonneur, em 1392, para divertimento do rei da França.
Numa composição diferente, com 50 cartas divididas em 5 séries de 10 cartas cada, existem vários exemplares do jogo chamado Carte di Baldini (c. 1465), também conhecido como os Tarocchi de Mantegna, nome de um dos mais importantes pintores do norte da Itália no séc. XV. Além de estruturas diferentes, exemplificada com o Tarô de Mantegna, existem inúmeros exemplos posteriores de acréscimo de cartas – como é o caso do I Tarocchi Classici – e de cortes e supressões que acabaram por originar jogos que se tornaram populares: Tarô Lenormand, também conhecido como Baralho Cigano.
 Hoje se possuem tantos e variados, com temáticas de filmes, livros e outros desenhos bastando escolher.












Runas


A origem das Runas data de tempos imemoriais, oriundas do norte da Europa, muito antes do aparecimento do cristianismo. Os mestres rúnicos da antigüidade riscavam os seus símbolos sagrados em seixos ou em gravetos de uma árvore frutífera, utilizando até o próprio sangue para dar-lhes a força mágica espiritual que almejavam. As Runas não representam um simples alfabeto de uma escrita antiga, mas sim, cada letra é um símbolo sagrado e autônomo. Cada Runa representa um arcano ligado a entidades representativas de Deuses da mitologia nórdica. Os símbolos por sua vez, tem uma energia individual e uma vibração característica que se expressa na força específica de cada Runa. O campo vibratório se altera na medida em que vários símbolos são conjugados para um trabalho em grupo. É essa força que estimula a intuição do "runamal" (cujo significado é a Runa falada ou os intérpretes que faziam as Runas falarem, o que recebiam esse cognome).


 Na antigüidade, o profundo conhecimento acumulado era transmitido de geração a geração a um círculo de homens sábios e mulheres de conhecimento que haviam sido iniciados para isso, mas mesmo assim, ele jamais foi monopolizado e concentrado na mão de um grupo restrito como freqüentemente acontece quando o poder é manipulado. Muitos mestres adicionavam novas revelações recebidas durante a convivência intensiva com o oráculo mantendo assim a chama das Runas acesa durante milênios. Mesmo no mundo material da atualidade, os símbolos rúnicos continuam vivos e alcançáveis por quem quer que se interesse por eles. O convívio estreito com o oráculo faz com que o "runamal" ou mesmo o próprio consulente, ganhe uma intuição quase infalível. Embora as Runas representem o oráculo europeu mais antigo não quer dizer que elas não se adaptem a jogos da modernidade. Elas funcionam em forma de baralho, ou em jogos eletrônicos, com a mesma presteza. A resposta do oráculo será tão precisa como seria se pintássemos os seus símbolos em seixos com o próprio sangue. Todavia, seja qual for o meio de adivinhação rúnica aplicada, sempre deverá ser precedido por um momento de introspeção e concentração para que a sintonia do interlocutor em relação ao campo rúnico possa se estabelecer e que a energia flua corretamente entre os dois pólos estabelecidos.

A própria raiz da palavra Runa, o "ru", em língua germânica arcaica, é sempre ligado a segredos e mistérios ou a algo muito confidencial. Runwita era um sábio ou conselheiro do rei, conhecedor de todos os "segredos". Runa em alemão arcaico tem o mesmo significado que "raunen" em linguagem atual e quer dizer sussurrar ou confidenciar. O "roun" dos escoceses antigos e o "rún" da Islândia tem a mesma conotação, sempre associado a mistérios e segredos.

Na ocasião em que a atual Grã-Bretanha foi colonizada pelo anglo-saxãos, existiram alfabetos rúnicos com o número de símbolos diferenciados (28 letras e posteriormente 29.) Na região norte da Inglaterra, acima do rio Humber, um pouco mais tarde haviam 33 símbolos. - O verdadeiro alfabeto, que além de ser a base para as escritas nórdicas e teve seu uso em magias, rituais e oráculo é o FUTHARK, composto de 24 símbolos, agrupados em 3 "aetts", ou seja, conjuntos de 8 letras cada, lidas da direita para a esquerda.




O primeiro "aett" corresponde às Runas Fehu, Uruz, Thurisaz, Ansuz, Raido, Kano, Gebo e Wunjo e a sua regência é de Freyr e Freyja, divindades da fertilidade e da criatividade.

O 2º grupo de "aetts" é composto de Hagalaz, Nauthiz, Isa, Jera, Eihwaz, Perth, Algiz e Sowelu. regidas por Hemdal e Mordgud , respectivamente o Deus da proteção pessoal e a Deusa, guardiã das entradas para os mundos subterrâneos.

O 3º "aett", tem a proteção do Deus Tyr e de sua companheira Zisa. São entidades guerreiras que em especial, resguardam a autodefesa do individuo. As Runas são: Teiwaz, Berkana, Ehwaz, Mannaz, Laguz, Inguz, Othila e Dagaz.




Tabuleiro Ouija


O Tabuleiro Ouija ou Tábua Ouija é qualquer superfície plana com letras, números ou outros símbolos em que se coloca um indicador móvel, utilizada supostamente para comunicação com espíritos. Os participantes colocam os dedos sobre o indicador que então se move pelo tabuleiro para responder perguntas e enviar mensagens. Na verdade, há um jogo de tabuleiro registrado no Departamento de Comércio americano com o nome de Ouija, mas a designação passou a servir a qualquer tabuleiro que se utiliza da mesma idéia.
No Brasil, há uma variante conhecida como a brincadeira do copo ou o jogo do copo, em que um copo faz as vezes do indicador para as respostas. Existem também apoios para a utilização de lápis durante as sessões.
O princípio que baseia o tabuleiro Ouija ficou conhecido depois de 1848, ano em que duas irmãs estadounidenses, Kate e Margaret Fox, supostamente contactaram um vendedor que havia morrido anos antes e espalharam uma febre espiritualista pelos Estados Unidos e Europa. Há também indícios de que o princípio teria sido aperfeiçoado por um espiritualista por volta de 1853, chamado M. Planchette, que teria inventado o indicador de madeira que é utilizado até hoje.

Espiritualistas que acreditam que é possível fazer contato real com o mundo dos mortos argumentam que vendar os olhos dos participantes da mesa prejudica suas supostas capacidades mediúnicas. A idéia que fundamenta o argumento é que o espírito utilizaria os sentidos do participante durante as sessões. A maioria dos adeptos dessa teoria acredita que o tabuleiro não tem poder em si mesmo, servindo apenas como ferramenta para o médium se comunicar com o mundo dos espíritos.

Ciência & Quadrinhos


Pra quem acredita que ciência é um saco, e tem um jeitão por demais acadêmico, que é séria demais e não suporta um humor se engana.

O cartunista Jão (João Garcia) foi o criador da tirinha "Os cientistas em quadrinhos", cujo objetivo era despertar o interesse das pessoas para ciência, e nada melhor que usar do humor para isso: “Com humor você pode chamar atenção, de forma lúdica, para o que é importante e também ridicularizar o que é besteira”, diz ele.

Segundo o cartunista, não há no blogue lugares comuns e o gênero usado é do tipo que faz o leitor pensar. “O humor das tirinhas e cartuns é feito com personagens quase de carne e osso, sem estereótipos como o cientista maluco".

A tirinha teve muitos colaboradores, como cientistas e jornalistas, por isso a assinatura dos quadrinhos mais antigos estão como "Jão & Cols", traduzido, "Jão & Colaboradores".

No início, o público-alvo da tirinha era o acadêmico e, em 2004, ela passou a ser feita também para as crianças e publicada no suplemento infantil da Folha de S.Paulo, a Folhinha. Além disso, o trabalho de Jão é encontrado nos boletins Telescópio, da Estação Ciência; ComCiência, do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo da Universidade Estadual de Campinas (Labjor/Unicamp) e no Pro-Scientiae, do Núcleo José Reis da Universidade de São Paulo (USP).


25 de novembro de 2009

Calvin & Haroldo


Calvin e Haroldo (Calvin & Hobbes em Portugal) é uma tirinha criada, escrita e ilustrada pelo autor norte-americanno Bill Watterson publicada em mais de 2000 jornais no mundo inteiro entre os anos de 1985 e 1995, ganhando em 1986 e 1988 o Reuben Award da Associação Nacional de Cartunistas dos EUA.

A tirinha mostra Calvin, um garoto de seis anos de idade com muita personalidade, criatividade, e muito sarcasmo, e suas aventuras com Haroldo um tigre de pelúcia inteligente e irônico.
De acordo com algumas visões, as fantasias mirabolantes de Calvin constituem frequentemente uma fuga à cruel realidade do mundo moderno para a personagem e uma oportunidade de explorar a natureza humana para Bill Watterson.

Ao fim de dez anos de publicação, os fãs consideram Calvin & Hobbes uma obra prima pela sua visão única do mundo, pela imaginação do protagonista e pelas situações insólitas que se estabelecem.

Watterson abandonou a criação que em 1995, embora as tiras continuem a ser publicadas por vários jornais, incluindo brasileiros. A última tira inédita foi publicada em 31 de dezembro de 1995.





Os principais personagens são:

- Calvin: um menino de seis anos que vive diversas aventuras e não perde uma chance de se aventurar com sua própria imaginação.

- Haroldo: o tigre de pelúcia e maior parceiro de Calvin.

- Mãe e pai de Calvin: que nunca recebem um nome na série.

- Susie Derkins: vizinha e colega da escola de Calvin, aparentemente destinada a ter uma eterna relação de amor-ódio com ele.

- Miss Wormwood: a professora de Calvin.

- Rosalyn: a dita por Calvin como a "terrível" babá, que é a única da cidade disposta a fazer o serviço de cuida-lo.

- O valentão Moe

Além de diversas outras formas e seres inventados por Calvin como : extra-terrestres, super-heróis, dinossauros e outros, que muitas vezes terminam por ser substituídos pela sua professora aos berros para que ele preste atenção nas aulas.



As tirinhas contém versões condensadas de sabedoria, ironia, e humor, com visões sobre o mundo que nos deixa apaixonado por cada personagem. Uma leitura leve e viciante.



Frases de "Sabedoria do Calvin":



* "A vida é cheia de surpresas, mas nunca quando você precisa de uma."

* "Pessoas sofisticadas usam óculos escuros."

* “Descobri minha missão na terra: fazer com que as pessoas façam a minha vontade. Assim que todos enxergarem isso viveremos em paz.”

* "Eu não faço questão de ser aceito, se eu for só ignorado pra mim já está bom"

* "Oh, Divindade do entretenimento passivo, derramai sobre mim suas imagens conflitantes em velocidade tal que torne o raciocínio impossível."
- Calvin, para uma televisão"

* "O problema das pessoas é que elas são apenas humanas."

* "Vivendo e não aprendendo... esses somos nós."

* "É muito mais divertido culpar as coisas em vez de arrumá-las."

* "Os desapontamentos da vida são mais difíceis de encarar quando você não conhece nenhum palavrão."

* "O mundo provavelmente é mais engraçado para as pessoas que não vivem aqui."

* "Eu sei que a vida é uma jornada, mas eu estou cansado de perder tempo no trânsito."

* "Eu perdi apenas um jogo idiota, meu espirito continua invencível"

* "Ame o pecador, odeie o pecado"

* " Não é porque ele distribui presentes de graça que vai justificar sua incompetência...."
- Quando o Calvin escreve para o Papai Noel, pedindo um foguete atômico e ganha 2 meias e uma camisa.

* "Os únicos conhecimentos que eu tenho paciência de aprender são aqueles que não têm uma real aplicação na vida."

* "Meu cérebro quer me matar."

* "Feito a imagem e semelhança de Deus, Sim Senhor..."
- Calvin só de cuecas se olhando no espelho.

* "Você sabe que vai odiar uma coisa quando não querem lhe dizer o que é!"

* "Nada como tornar o dia das pessoas surreal."

* "Ai, mas um dia de escola... Eles tentaram a qualquer custo construir meu caráter... mas eu fui duro com eles!"
- Quando Calvin chega da escola

* "Eu sou um líder natural! Sou do tipo que comanda! O problema é que ninguém quer ir pra onde eu quero levar..."

* "Eu não posso responder essa pergunta, pois ela vai contra meus princípios religiosos."
- Calvin, ao responder uma questão de matemática que perguntava o resultado de 2 + 7.

* "Eu já não sei mais do que eu quero! Eu gostava mais das coisas quando eu não as entendia!"

* "É um novo mundo Haroldo, vamos explorá-lo"

* "Isto é um trabalho para... um outro qualquer!"

* "É mais fácil pedir perdão do que permissão."

* "O problema com o futuro é que ele continua se transformando no presente."

* "Nada como a pressão do último minuto"

* "Como soldados matando uns aos outros resolvem os problemas do mundo?"

* "Acho que os adultos só fingem que sabem tudo!"

* "Ou alguém vomitou no forno ou mamãe andou cozinhando!"

* "Na frente eu escrevi fique boa logo. Dentro eu coloquei: porque a minha cama não foi arrumada, minhas roupas estão espalhadas e eu estou faminto."

* "A vida é como topografia, Haroldo. Há picos de felicidades e sucessos... pequenos campos da chata rotina... e vales de frustrações e fracassos..."

* "Mas considerando que minha vida esta destruída agora, você não poderia pelo menos levar a culpa?"


* "Estou a tanto tempo sem fazer nada que posso sentir meu cérebro se atrofiando."

* "O segredo da felicidade é a estupidez de auto interesse a curto prazo"

* "Eu sou uma pessoa simples...mas de gostos complexos"

* "Desta vez acho que vou ganhar um ponto por originalidade!"

* "Não sei mas é a única coisa que me impede de estrangular você!!"
- Uma resposta que sua mãe da a ele, quando ele acorda de madrugada gritando por ela, e ela sai correndo da cama desesperada... e então ele pergunta se o amor é comparável a grandes porções de chocolate.

* "Você não chega a ser mãe se não puder resolver tudo"

* "Nada é ruim o suficiente que não possa piorar"

* "Se você faz o trabalho ruim o bastante, às vezes não lhe pedem para faze-lo novamente."

* "A força para mudar o que eu posso, a inabilidade para aceitar o que eu não posso, e a incapacidade para perceber a diferença."

* "Uma boa camiseta transforma o usuário num outdoor corporativo ambulante."

* "A minha identidade está tão envolvida pelo que eu compro que eu paguei à companhia para anunciar seus produtos!"
- Quando Calvin diz que queria que a camiseta dele tivesse um logotipo.

* "A vida é cheia de surpresas ...então porque o ônibus da escola não explode no caminho antes de chegar aqui?"

* "Sabe como Einstein tirava notas ruins quando criança? Bem, as minhas são ainda piores!"

* "Quando você pensa como os utensílios básicos trabalham 'bem', é difícil acreditar que alguém ainda pegue avião."

* "Susie é muito feio abusar de meninos sem escrúpulos."
- A mãe de Calvin, quando Calvin apostou com Susie que comeria 5 minhocas.

* "Porque todo mundo tem bons inimigos menos eu???"

* "Sei lá, parece que quando as pessoas crescem, elas não fazem idéia do que seja legal."

* "Má notícia mamãe, prometi minha alma ao demônio esta tarde".



Links








Xandria


É uma banda alemã de metal sinfônico, criada em 1994. As músicas misturam muitos elementos, desde folclore a flertes com rock alternativo, então qualquer definição no mínimo seria diminuir o som que está banda faz.
Seu primeiro albúm Kill the Sun foi lançado em 2003, após várias demos. O segundo, Ravenheart, lançado em 2004 alçou a banda a seu atual sucesso.
Atualmente se encontram buscando uma nova cantora que preencha o vazio que a voz suave de Lisa Middelhauve deixou, ao sair da banda em maio de 2008.

A banda é formada atualmente por:

Kerstin Bischof – vocal
Marco Heubaum – guitarra
Philip Restemeier – guitarra
Nils Middelhauve – baixo
Gerit Lamm – bateria

Ex- integrantes:

Lisa Middelhauve

Albúns:
















Vídeos

Ravenheart




Save My Life



Eversleeping



Mortal Love


Mortal Love é uma banda norueguesa de gothic metal, o som é muito bom! A forma como combinam a voz feminina e masculina dá, em grande parte das músicas, um tom sensual e tristonho.
Seus atuais integrantes são:

Cat (Catherine Nyland)
Lev (Hans Olav Kjeljebakken)
Rain6 (Lars Bæk)
Damous (Pål Wasa Johansen)
Mulciber

A banda atualmente possui três albúns lançados:










Os albúns são compostos como uma história e os títulos quando juntos formam a seguinte frase: " All the beauty I have lost forever will be gone", traduzido, "Toda a beleza que perdi, para sempre terá ido".
A banda atualmente se prepara para lançar um próximo disco.




Fonte: meu AMIGO Akira!!

20 de novembro de 2009

Maquinária Festival 2009

No início deste novembro que agora já quase se despede, São Paulo tremeu sob as pancadas de uma máquina. Não, não a máquina comum do trânsito ou do stress. A máquina da música!

O Maquinária Festival 2009 ocorreu nos dias 7 e 8 de novembro, consolidando-se como um dos maiores festivais brasileiros de música e arte.
Arte? Sim, arte! O evento contou com espaços reservados à arte urbana, onde artistas plásticos puderam exibir suas obras.
Além disso, todo o evento, que ocorreu na Chácara do Jockey, em São Paulo, foi planejado pensando também no meio ambiente. Com triagem e reciclagem (feitos no próprio local) do lixo produzido no evento, auditoria de meio ambiente e atividades interativas, o festival valorizou as exuberantes árvores do local, oferecendo sombra natural nos espaços de convivência.
Espaços de convivência???? Sim! Houve restaurantes (que não estavam tão caros quanto se poderia esperar!), banheiros (os quais eu gostaria de nunca ter visitado!) e um espaço agradável entre os estandes - de marcas como Hurley e UOL - que tornaram possível não só a curtição dos shows, mas também a interação entre fãs de diferentes estilos e esferas musicais.
E música????? Cadê??????

O festival contou com dois palcos: um principal, onde ocorreram as grandes atrações; e o palco MySpace, onde bandas menores e algumas votadas em enquetes exibiram sons novos e diferentes.
Dia 7, no palco principal:
15h00 - Nação Zumbi
16h20 - Sepultura
17h40 - Deftones
19h30 - Jane's Adiction
21h30 - Faith No More

e no MySpace:
14h30 - Stevens
16h00 - Tico e o Rebu
17h20 - Sayowa
19h00 - Maldita
21h00 - Comodoro

Já no dia 8, no palco principal:
17h10 – Duff McKagan's Loaded
18h30 – Dir En Grey
19h50 – Panic At The Disco!
21h30 – Evanescence

e no MySpace:
16h00 - Volantes
16h40 - Terceira Edição
18h00 - Silicon Fly (oh não, eles não se contentaram com as vaias de 2007!)
19h20 - Hori
20h40 - Danko Jones

Opinião do autor!

Apesar de apenas ter ido no segundo dia, 08/11, queria muito poder estar presente em ambos. Isso porque o festival, o clima e o próprio espaço davam um ar de Woodstock a tudo! Incrível ver clássicos headbangers para ouvir Duff McKagan, metaleiros saídos de animes para ver Dir En Grey, seres saídos de High School Musical e Crepúsculo para ver Panic At The Disco! e todos estes e mais outros de muitos outros estilos para ver Evanescence!

Parece que a mistura não foi apreciada, certo? Errado!

É uma experiência única estar reunido com milhares de pessoas, todas em prol da música, seja esta na forma de um rock n' roll, um j-rock death metal, uma boy band ou um ex-pseudogothicpop rock. Isso porque as conversas, as zoações e, claro, os gritos desesperados ficam na sua cabeça horas a fio depois do show. E dias, semanas, meses, e talvez até anos!

O mais legal do Maquinaria Festival não é ver aquele(a) artista que você ama/adora/idolatra ali a poucos (ou muitos) metros de distância. É ver outros fãs gritando para outros artistas com a mesma lealdade que você! E, acima de tudo, é sentir a máquina da música pulsar acima, abaixo e, principalmente, DENTRO de você!

Site Oficial do Maquinaria Festival 2009

Abaixo você confere fotos e vídeos feitos por mim (!) do evento (quase nenhum está completo. Sinceramente, prefiro apreciar o show que ficar com uma câmera na minha frente olhando a telinha de LCD pra ver se enquadrei bem!). A ordem é Duff McKagan's Loaded, Dir En Grey e Evanescence (perdão aos fãs de Panic At The Disco!, mas não liguei minha câmera durante o show deles).











Vídeos:
























P.S.: Acho que não é difícil saber de qual show gostei mais, certo?
P.S.2: Agradeço muito ao Guilherme, por me acompanhar nessa excursão maluca que nos levou ao Maquinaria, e à Gabi, pela companhia perfeita durante o show do Evanescence.

13 de novembro de 2009

O Palco



Ah como a visão é bela!
Que a criança não vê mais
Olha no Espelho e não se vê
Bate no Relógio e não ouve

Que ela perdeu seus dedos!
Ah que é bela a melodia
Que as aranhas tecem e fiam
Em seus cabelos envelhecidos

As feras uivam à porta
Os pássaros batem nas janelas
E ela pede a mim perdão
A mim! Eis que ela já morreu

E ah pois eu me retorço em risos
Ao ouvir suas unhas quebrarem
Nas teclas amarelas do mecanismo
Que um dia à sua frente cantou

E ah que eu me delicio em vícios
De vê-la rabiscar o papel
Com a mão trêmula de um velho
E com a embotada luz da escuridão

A criança relê ainda! Uma vez mais
E então retorna a página
E retorna o verso e a estrofe
Ah que ela perdeu a doce metáfora!

Não, não me acuses de assassino
Sou a platéia que o poeta desejou
Sou os aplausos que o pianista implorou
Eu sou a dúvida impressa no silêncio dos olhares

Pois enquanto ela dançava, e ria
E sonhava Inércias, Ausências e Jardins
Eu jazia inquieto na minha poltrona dura
Vendo um péssimo teatro de quinta!

Ah, o fim sempre cobra seu preço!
Pois enquanto eu em bocejos assistia
Ela engasgou com o vinho de mil risos
Ela tropeçou na cratera de cinco elogios

E eu, que não sou tolo, ah não sou
Subi ao palco e meu tom acendi
Sem pedir a luz, tomei meu lugar
Pois este palco merece alguém digno

Agora inerte, nem mais enxerga, a criancinha!
É pena, pois apreciaria seu olhar
Enquanto ergo meus dedos nas teclas
E um presto brilhante rasga o silêncio

Ali, no canto, ficou o corpo fraco
Da alma nobre que me acolheu
No teatro de uma única cadeira
Eu clamo apenas à noite, ao escuro
Paz, um fim, eis que ela já morreu

__________________________________________________


Escrito no Jardim, em 12/11/2009.


Ouvindo Adagio Sustenuto da Sonata ao Luar,
L. van Beethoven


Imagem: Capa do álbum Live, Lacrimosa

8 de novembro de 2009

Versailles Philharmonic Quintet


Versailles Philharmonic Quintet, ou somente Versailles (ヴェルサイユ・フィルハーモニック・クインテット) é uma banda de visual key japonesa, formada em março de 2007 por KAMIJO (ex. LAREINE) e HIZAKI (ex. SULFURIC ACID). Logo depois, Jasmine You, que fazia parte do projeto solo de HIZAKI, HIZAKI grace project, juntou-se ao grupo. Por último, TERU (ex. Aikaryu) e YUKI (ex. SugarTrip) foram bastante recomendados pela casa de shows Rock May Kan, e então também juntaram-se à banda.

KAMIJO e HIZAKI já tinham um conceito para uma nova banda desde o outono de 2006, e levaram cerca de seis meses para encontrar os membros adequados para que pudessem expressá-lo corretamente. Então, os membros foram anunciados no dia 29 de março, enquanto o nome da banda foi divulgado no dia 30.


No dia 2 de maio, eles postaram um trailer da aparição do Versailles no YouTube. Desde então, o grupo vem recebendo inúmeras propostas de turnês e entrevistas da mídia internacional. Até o momento eles haviam feito somente entrevistas com a imprensa internacional.

No fim de maio, uma TV alemã de documentários foi ao Japão e a banda foi entrevistada. Em junho, as entrevistas com a TV alemã foram divulgadas no Sankei Newspaper (um dos jornais mais comuns do Japão), e o Versailles era encontrado no artigo. Por causa da grande resposta que obtiveram, "Versailles Band" ficou entre as cinco primeiras expressões mais procuradas do Yahoo. Desde então eles vêm sendo chamados de "a banda do momento".

O Versailles fez sua primeira aparição no dia 23 de junho, seguida de sua primeira performance no dia 24. Nesses dias, o grupo distribuiu seu primeiro single e DVD, The Revenant Choir. No dia 31 de outubro, eles lançaram seu primeiro mini-álbum, Lyrical Sympathy, tanto no Japão quanto na Europa. Em seguida lançaram o DVD Aesthetic Violence, que podia ser encontrado em cinco versões diferentes, uma para cada membro, que incluia um perfume específico para cada um.

A banda começou 2008 lançando uma música na compilação CROSS GATE 2008~chaotic sorrow~, que foi produzida por KISAKI e KAMIJO. No mesmo ano, o Versailles atendeu aos pedidos dos fãs de outros países. Imediatamente após o lançamento de seu segundo single, A Noble Was Born in Chaos, eles embarcaram em uma turnê européia junto com a banda visual kei indies MATENROU OPERA. Depois dos seis shows, que aconteceram em março e abril, a banda voltou ao Japão para dois shows em maio. O primeiro foi a oportunidade de se apresentar no hide Memorial Summit, e o segundo foi o primeiro show one-man do Versailles, no dia 6 se maio.

O Versailles nunca se esqueceu dos fãs americanos, aparecendo na convenção A-kin, no Texas, no fim de maio, e se apresentando na Califórnia alguns dias depois. Como se não estivessem ocupados o suficiente, em julho eles lançaram seu primeiro álbum, NOBLE, que também chegou á Europa e aos Estados Unidos.



Pouco tempo depois, a banda anunciou em seu site oficial que teriam de mudar de nome devido a problemas legais com outro artista americano que já utiliza esse nome. Os fãs tiveram a oportunidade de enviar suas sugestões e o nome Versailles -Philharmonic Quintet- foi escolhido para ser usado nas atividades americanas para evitar problemas legais.

Em outubro, a banda voltou para os Estados Unidos, dessa vez para uma apresentação na convenção Anime USA, na Virgínia. Infelizmente, durante o evento, o Versailles enfrentou diversos problemas, que deixaram os fãs, a convenção e a banda decepcionados.

PRINCE & PRINCESS, seu terceiro single, foi lançado em dezembro. Mais uma vez, ele foi disponibilizado em diversas versões, dessa vez uma regular e cinco versões individuais de cada membro.

Após tanto trabalho duro e grandes feitos em tão pouco tempo, foi inevitável que uma gravadora major expressasse seu interesse pelo Versailles. Então, não foi uma grande surpresa quando foi anunciado, em dezembro, que a banda se tornaria major.

A primeira parte de 2009 trouxe à banda várias novas apresentações, como sua última turnê indies, que começou em março e se estendeu até junho. Em maio, a banda lançou dois DVDs por sua própria gravadora, a Sherow Artist Society. Em junho, eles fizeram seu primeiro lançamento major, o single ASCENDEAD MASTER, pela gravadora Warner Music Japan. Pouco depois desse lançamento, eles anunciaram o lançamento de um segundo álbum em setembro.

Recentemente, os fãs receberam a triste notícia da morte de Jasmine You (em 9/8/2009), como os membros da banda, assim como todos os fãs se ficaram muito abalados, então pararam de forma indefinida suas atividades.


Discografia:

Albúns
Noble

EPs

Lyrical Sympathy
The Revenant Choir
A Noble Was Born in the Chaos
Prince & Princess
Ascendead Master

Coletâneas
Cupia
Tokyo Rock City
Cross Gate 2008 -Chaotic Sorrow
(PRINCE)Versailles and Chariots Coupling CD

DVDs
Aesthetics and Violence - 5 Versões
History Of The Other Side
Chateau de Versailles - Live at C.C LEMON HALL



Vídeos:

Aristocrat's Symphony


Ascendead Master


Prince [Live - Chateau de Versailles]




7 de novembro de 2009

Sherlock Holmes


Sherlock Holmes é um personagem ficcional da literatura britânica criado pelo médico e escritor Sir Arthur Conan Doyle.
Holmes é um investigador do final do séc. XIX e início do séc. XX que apareceu pela primeira vez no romance "A Study in Scarlet" (Um estudo em Vermelho) publicado originalmente pela revista Beeton's Christmas Annual, em novembro de 1887. Sherlock Holmes ficou famoso por utilizar, na resolução de seus casos, o método científico e a lógica dedutiva.

Holmes costuma ser uma pessoa arrogante, que está correta sobre inúmeros assuntos e com palpites certeiros. Doyle descreve um personagem como uma pessoa sem defeitos, apesar de Holmes apresentar alguns.
Além do aspecto erudito, não demonstra muitos traços de sentimentalismo, preferindo o lado racional de ser. Apesar disso, em alguns contos o Dr. Watson diz que a "máscara gelada" de Holmes cai às vezes, dando mais humanidade a Sherlock Holmes.
Orgulhoso, parece dominar vários assuntos sem Doyle descrever seus estudos. Holmes apresenta alguns hábitos peculiares como a prática de boxe.
Além disso, diz-se que é um exímio violinista.
Não se vê Holmes estudando sobre tudo, mas domina misteriosamente e incrivelmente uma vasta quantidade de assuntos do conhecimento humano, tais como História, química, geologia, línguas, etc.
Segundo Conan Doyle, Sherlock Holmes viveu em Londres, num apartamento na 221B Baker Street, entre os anos 1881 e 1903, durante o último período da época Victoriana, onde passou muitos anos na companhia do seu amigo e colega, Dr. Watson. Hoje esse endereço é um museu dedicado a Sherlock Holmes.

Para criação do personagem Doyle se inspirou no Dr. Joseph Bell (1837 - 1911), um cirurgião de Edimburgo, que era habilidoso em deduzir muito da vida e hábitos de um estranho apenas depois de observá-lo.
Bell inspirou não somente a criação da personalidade de Holmes, mas também o porte físico do detetive. Em um texto publicado no periódico The National Weekly em 1923, Doyle conta como foram seus anos na faculdade de medicina, quando iniciou o processo de criação de seu personagem mais famoso. Neste, o aluno descreve seu notável professor Bell:

"Era magro, vigoroso, com rosto agudo, nariz aquilino, olhos cinzentos penetrantes, ombros retos e um jeito sacudido de andar. A voz era esganiçada. Era um cirurgião muito capaz, mas seu ponto forte era a diagnose, não só de doenças, mas de ocupações e caráteres."
Pelo caráter arrogante de Holmes, Bell negou a inspiração e tomou-a como pejorativa à sua pessoa.

Já Sherlock Holmes, por sua vez, vem servindo de inspiração para muitos outros personagens literários ao longo das últimas décadas. Um dos mais recentes é a adolescente detetive Dixie Tepper, que incorpora muitas das características de Holmes, trazendo para a Nova York de nossos dias toda a astúcia do velho detetive. Outro exemplo bastante famoso é o detetive Adrian Monk, da série de TV homônima, que tem um senso de observação e dedução do mesmo nível de Sherlock, mas destaca-se pelo seu transtorno obsessivo-compulsivo (que, por sinal, são parte de seu sucesso como detetive). Outro personagem inspirado em Sherlock é Gregory House, da série de TV americana House M.D., chefe da ala de diagnósticos que utiliza lógica dedutiva para desvendar as mentiras de seus pacientes; House costuma sempre dizer "Todo mundo mente". As semelhanças entre Holmes e House são muitas: o homem que atirou em House se chama Moriarty, maior inimigo de Holmes, House também é viciado, também tem gosto pela música e mora no número 221.
Jô Soares também escreveu um romance (O Xangô de Baker Street, que também foi filmado), onde o famoso detetive e seu colega são mostrados de uma forma cômica perante a diversidade de nosso país.

Romances

Um estudo em vermelho - (A Study in Scarlet) - romance publicado em 1887.
O signo dos quatro - (The Sign of the Four) - romance publicado em 1890.
O Cão dos Baskervilles - (The Hound of the Baskervilles) - romance publicado em 1902.
O vale do terror - (The Valley of Fear) - romance publicado em 1915.


Contos

As Aventuras de Sherlock Holmes - (The Adventures of Sherlock Holmes) - série de 12 contos publicada em 1892.

Memórias de Sherlock Holmes - (The Memoirs of Sherlock Holmes) - série de 11 contos publicada em 1894.

O Retorno de Sherlock Holmes - (The Return of Sherlock Holmes) - série de 13 contos publicada em 1905.

Os Casos de Sherlock Holmes - (The Case-Book of Sherlock Holmes) - série de 12 contos publicada em 1927.

O último adeus de Sherlock Holmes - (His Last Bow) - série de 8 contos publicada em 1917.


Agora Sherlock Holmes aparace nos cinemas sendo representado por Robert Downey Jr. e seu ajudante Dr. Watson será vivido por Jude Law.
O filme será baseado na HQ de Lionel Wigram intitulada Sherlock Holmes, a temática mais cerebral, tão comum aos contos de Sir Arthur Conan Doyle, dará um pouco mais de espaço à ação. Novas habilidades de Holmes, principalmente do que diz respeito à sua aptidão para artes marciais, serão exploradas em conjunto às já conhecidas capacidades de investigação do detetive.
O trailer com certeza mostra bastante cenas de ação e comédia nesse filme que estréia por aqui em Janeiro de 2010.

Vídeo

Trailer Legendado


Trailer


5 de novembro de 2009

Tristania

Com um estilo que vai desde o symphony metal até o death metal, passando por doom e black metal (esses rótulos às vezes irritam), Tristania é uma banda tão rica em sonoridades que é impossível enquadrá-la em um único estilo.

A banda norueguesa foi formada em 1996, por Einar Moen (sintetizador), Kenneth Olsson (bateria) e Morten Veland (guitarra e vocal). Para uma primeira demo, a vocalista Vibeke Stene foi convidada, vindo logo depois a se tornar membro oficial da banda.

Uma coisa importante (e muitas vezes ruim) no Tristania é a saída de seus integrantes...
Em fins de 2000, Morten Veland sai da banda por diferenças pessoais e monta o Sirenia. Østen Bergøy, que até então fazia vocais limpos como convidado, se torna membro oficial, e Kjetil Ingebrethsen substitui Veland.
Em 2006, Kjetil deixa a banda, sem ressentimentos, e em 2007 Vibeke Stene, o brilho intenso na sonoridade do Tristania, deixa a banda, para lecionar canto.
Em outubro de 2007 a cantora italiana Mariangela "Mary" Demurtas é anunciada como nova vocalista da banda. Porém, até agora nenhum álbum com Mary foi lançado.

As músicas incluem vocais líricos e dramáticos (Vibeke Stene), vocais masculinos limpos e muito graves (Østen Bergøy) e vocais guturais extremos (Morten Veland e posteriormente Kjetil Ingebrethsen), violinos, órgão de tubos, flautas, violoncelo, além de guitarras pesadas e uma bateria admiravelmente criativa e pesada ao mesmo tempo.


Observação: Para descompactar os arquivos é necessária a senha: sigmametal.blogspot.com

Demos e Singles:

Tristania - 1997
Angina - 1999
Sanguine Sky - 2007

Álbuns:

Widow's Weeds - 1998
Beyond the Veil - 1999
World of Glass - 2001
Ashes - 2005
Illumination - 2007

Live:

Widow's Tour - 1999 (áudio)

Site oficial da banda


Vídeos:









Links: Blog Sigmametal

Marionete



À furtiva luz de um rubro crepúsculo
Repousa a bela marionete caída
Descansa o corpo preso a fios
Olhos vítreos, frios, a não-enxergar

Pois eis que ela acordou mais uma vez!
Trouxeram os pássaros o seu manto
Alva seda a contornar uma pele rija
Suas lágrimas queimaram os fios

Anda, como a criança a aprender
Chora, como o cego a rever
E ouve sua voz, trôpega, a gritar
Que a noite uma vez mais a abraçou

Salta a janela, segue estrelas
E corre! Pés livres, olhos vivos
Alma a dançar com a dádiva almejada
Uma noite a mais como um anjo

Enxerga o mesmo lago, espelhado
Acaricia sua face mais uma vez
Como tantas vezes fez o bufão
Em um torpe espetáculo ao dia

Mas desta vez, ah que é ela mesma
Não um boneco, matéria inerte
De volta ao seu lar, ganha asas
Como um sonho, vê na água o paraíso

Mas o céu a acolheria agora?
A lua refletida a convida
À longa jornada ilusionada
Em cem mil noites de cárcere

Asas de pano, ela pensa
Corpo de um boneco, ela sente
Ah, que o sonho da criança é ofuscado
Pelo espinho impiedoso da Razão

Mas pássaros voam, a chamam
As copas das árvores a convidam
Nuvens a convocam como a mais bela dançarina
Que o balé dos céus já acalentou

Pois então tenta, bate as asas
Reaprende e saboreia como delícia
O vento a erguer seu lacerado corpo
E chora, ao seu lar retorna, viva.

Mas ah, que o sol agora acorda
E o sonho acaba, e a música cessa
E de um céu antes noturno despenca
Um boneco vestido de anjo

Em seu lago mergulha, e dorme
Longe dos céus, perde as asas
Longe dos fios, finalmente sorri
Livre, ante o céu, a sonhar


__________________________________________________

Escrito no Jardim, em 26/10/2009.

Imagem: esboço de Sasha, personagem de Misty Circus, por Victoria Francés